sábado, 26 de junho de 2010

"Felizes para sempre". Quem??

Todo mundo já deve ter cansado de receber e-mails de piadinhas sobre casais 'diferentes', normalmente compostos por celebridades, que bastam existir para atrair ódio e amor.
Obviamente não me cabe traçar análise da vida alheia, inclusive não tenho competência para tanto, apesar de confessar que adoro saber uma novidade!rs
Mas, o ponto não é minha inclinação para a fofoca, e sim uma consideração sobre o preconceito.
Engraçado que tem gente que não se dá conta (jura?!) de que esses comentários maldosos sobre a garotinha que casou com o cara mais velho são preconceito puro!
Tudo bem ter opinião, mas vamos parar um pouquinho para pensar sobre a nossa vida, pode ser? Vamos lá...
E daí se a garotinha se apaixona por um cara bem mais velho que ela? O amor não pede Certidão de nascimento!
E daí se o universitário marombeiro se apaixona por uma mulher madura? O amor não pede exame de saúde!
E daí se o coroa rico cai de amores pelos encantos de uma jovem cheia de vida? O amor não verifica nosso IR! (pedófilos: XÔ!)
A vida sempre tem surpresas para nós, e todos nos movemos através de nossos interesses.
Tem gente que daria tudo para ir morar em Nova Iorque, para viver no burburinho 24hs por dia, enquanto outros acordam todas as manhãs pensando na aposentadoria, que será desfrutada numa chácara no interior do interior do interior de algum lugar pequenininho perdido no mapa. Uma é melhor do que a outra? Claro que não!
É sempre mais fácil julgar os outros pelo pior aspecto, parece que faz parte de nossa natureza humana exercitar a crueldade de vez em quando.
A garotinha pode se apaixonar por um cara bem mais velho por ter interesse em conviver com alguém que lhe dê segurança, confiança. Em regra, nada melhor do que um cara mais velho.
O universitário marombeiro pode se animar em conviver com alguém que tenha assuntos diferentes do que escuta na academia, e que esteja disposto a compartilhar. Quer criatura mais maternal nos relacionamentos do que uma mulher madura?!
O coroa rico pode ter toda a grana do mundo, mas precisar de alguém para alegrar sua vida, com planos, sonhos e disposição. Diz aí se a jovem cheia de vida não é a tampa para essa panela!!!
Claro que não sou tãããão Poliana a ponto de imaginar que ninguém se casa por dinheiro ou status, mas não vamos colocar todos os gatos no mesmo balaio!
Eu não estou nessa vida para criticar ninguém, o que não significa que tenho que concordar com tudo...
Cada um no seu quadrado e vida que segue.
E no mais, deixa o amor escolher.
Alto, baixo. Gordo, magro. Rico, pobre. Inteligente, tapado. Bonito, feio.
O importante é amar! A opinião dos outros? Essa eu passo!


Bernie Ecclestone (da F1) e Slavica.




Flavio Briatore (chefão da Renault) e sua jovem esposa Elisabetta Gregorari (modelo)

Como eu não tenho preconceito sobre isso, casaria fácil com um certo lobisomem...hihihi




sábado, 19 de junho de 2010

Mais ou menos

Não tem nada pior do que gente mais ou menos.
Sabe aquela pessoa morna, que nunca tá feliz, nunca tá triste, nunca tá preocupada? Gente que nunca tem opinião sobre nada.
Essa pessoa é morna.
Eu prefiro as pessoas sujeitas à alteração de temperatura. Pessoas que fervem diante de uma injustiça, pessoas que gelam diante de um problema.
Eu acredito que somos nós que traçamos nosso destino, somos os protagonistas da nossa história, e todo enredo bom é aquele que tem muitas emoções, sejam boas ou ruins.
Se é para amar, vamos amar muito, amar direito, a nós, aos outros, a vida, as vitórias e aos fracassos, que são nossa chance de fazer melhor da próxima vez.
Se é para resolver um problema, vamos esquentar a cabeça logo, sem ficar no banho-maria que nos faz perder tanto tempo quando poderíamos resolver a questão de uma vez por todas.
Claro que sou contra qualquer tipo de violência, de qualquer ordem, mas uma sacudida de vez em quando só faz bem, coloca as coisas de volta aos eixos.
Para isso servem os amigos, a família.
Ninguém nasce pronto para encarar a vida, mas a escolha de como vamos fazer isso é nossa, consiste na nossa essência, do que queremos dar para o mundo, e muitas vezes define o que vamos receber de volta.



Há pessoas que nasceram para ser águias de suas vidas, traçar altos vôos e explorar o mundo, e há aquelas que preferem ser galinhas, ficando sempre na segurança do galinheiro recebendo o mesmo milho e vendo as mesmas coisas por toda a vida.
Isso não significa que uma é melhor que outra, apenas são escolhas diferentes, com consequências diferentes também. Nossas escolhas são feitas com as possibilidades que temos.




Pessoas que não se conformam com a vida mais ou menos não nasceram para viver presas num galinheiro. Precisam de sentimentos completos, inteiros, sem nada morno ao seu redor.
O morno é o 'quase', é muito pouco para quem quer tudo.
Eu escolho ser águia. Nem sempre voamos para onde queremos, nem sempre temos boas condições de voar, às vezes vamos bater de bico em uma árvore, podemos nos sentir tristes por ter deixado o galinheiro para trás, vamos ter saudades das galinhas de asas curtas que encontramos pelo caminho e que não podem vir conosco, mas tudo isso serve para nos impulsionar a conquistar mais espaços e vitórias.
Eu escolho correr todos os riscos de ser águia, porque sei que só assim vou conseguir voar bem alto.
Se vai dar certo sempre? Claro que não, mas eu escolho mesmo assim.

Adoro galinha d'Angola de enfeite! Acho a coisinha mais fofinha! "Tô fraco, tô fraco..."

terça-feira, 15 de junho de 2010

É hoje!

Gostando ou não de futebol, hoje não tem jeito, ninguém escapa daquele bichinho que só dá descanso quando a gente dá uma olhadinha na TV!!!
Tem gente que aproveita o horário do jogo do Brasil, já que não se trabalha nesse momento, para fazer um monte de coisas que não têm nada a ver com a bola em campo, mas que é só passar perto da TV e escutar aquele barulho que a torcida brasileira faz que um arrepio percorre nossa espinha e BUM! Viramos torcedores desde criancinhas!!!
Eu confesso que nunca planejo parar minhas atividades para assistir aos jogos, mas eu tenho que me esconder do Hino Nacional, por que se eu escuto...me sinto oficialmente 'convocada', e não consigo mais sair da frente da TV, e mesmo sem entender nadica de táticas, esquemas técnicos e o escambau, eu sei quando é gol! E prá mim é só isso que preciso: gol do Brasil! Aturo até o chatonildo do Galvão Bueno pelo meu país se for preciso! Isso é o amor à camisa, galera!




Vamos parar de resistir, gente! Quem não é técnico da seleção junto com Dunga?? E quem não tem certeza de que faria um trabalho muito melhor que o dele???
Então, vamos aceitar a realidade: torcer está no nosso sangue verde e amarelo!
Boa sorte para a seleção e para os torcedores mais exaltados.
Vamos torcer para que nosso técnico faça um bom trabalho e que nossos jogadores caprichem como só os brasileiros sabem caprichar!

Quem não gosta do futebol pode assistir pelo Kaká, também vale!

sexta-feira, 11 de junho de 2010

Tutu e o sonho

Até quem não gosta de futebol ou qualquer outro esporte acompanha as cerimônias de abertura e encerramento da Copa do Mundo e dos Jogos Olímpicos, nem que seja só uma olhadinha sem compromisso. Eu simplesmente adoro essas ocasiões!!! Fico encantada em como um povo consegue transmitir partes de sua cultura e representar seu povo tão lindamente.
Eu acho a abertura das Olimpíadas bem mais interessante do que a da Copa do Mundo, mas confesso que a da África do Sul eu quis parar para ver.
Fiquei tão emocionada quando apareceu aquele ser tão fofo e especial que é o Tutu todo vestido de Bafana Bafana!!!



Para quem nunca teve a oportunidade de pesquisar nada sobre o apartheid da África do Sul (uma mancha na História), não sabe quem é essa graça de pessoinha.
Amigo e vizinho de Nelson Mandela no subúrbio (inclusive ele brinca, dizendo que a Rua em que eles moravam em Soweto é a única do mundo que tem 2 Nobel da Paz), é uma figura igualmente importante na história da África do Sul.
Desmond Tutu é Arcebispo da Cidade do Cabo e mititou contra o regime racista, considerado por ele "uma política diabólica".
Nascido em uma época em que os negros eram obrigados a portar identificação especial e apresentá-la aos policiais brancos sempre que exigido, Tutu concluiu seus estudos na África do Sul e partiu para a Inglaterra para estudar Teologia, tornando-se em 1975 o primeiro negro a ser nomeado decano da Catedral de Santa Maria, em Johannesburgo.
Lutava pelos direitos civis iguais para todos, independente de credo ou cor, e presidiu a comissão de Reconciliação e Verdade, destinada a promover a integração racial na África do Sul.
Por sua firme oposição à segregação racial, ganhou em 1984 o Prêmio Nobel da Paz.
Diante dessa vida dedicada à união entre as pessoas diferentes, foi emocionante ver aquele senhor-torcedor declarar seu amor à paz na abertura desse evento que acolhe as nações em torno do esporte.
Foi uma bonita cerimônia de pontapé inicial, alegre, colorida e vibrante. Tudo bem que a dancinha da Shakira foi imprópria para menores de 30 anos, mas diva é sempre diva!
Salve Tutu!

Quem nunca cantou: tá com pulga na cueca. sat si pata pata!!rs

domingo, 6 de junho de 2010

Ai, ai, ai, meu Deus! Alô, adeus! É tarde, é tarde, é tarde!

As diferenças são sempre edificantes. Com elas temos a possibilidade de avaliar nossas convicções sob diversos pontos de vista, e com isso confirmar ou modificar nossas opiniões.
Isso, claro, quando há respeito na verbalização da discordância...
Recebi um e-mail muito curioso, e pensei em compartilhar com vocês.
Acredito que por conta do meu post sobre a paz (que nunca conseguimos alcançar), causei desconforto em algumas pessoas. Nesse e-mail fui chamada de ALICE, já que o que 'pretendo' só pode mesmo ser alcançado no País das Maravilhas.



É, minha gente...confesso que meu sangue deu aquela fervidinha básica! Mas depois esfriou bem rapidinho, sabem o porquê?
Pena!
Isso aí. Pena por vários fatores.
-Por acharem que eu estou 'pretendendo' a paz na minha vida e no mundo por capricho. Daqui a pouco Papai Noel vai aparecer na minha janela (não tenho chaminé, foi mal, bom Velhinho!) dizendo: Lamento informar, sei que você foi uma boa menina, mas a paz mundial não coube no trenó então vai ganhar outra Barbie!
-Por existir alguém que se incomoda para reclamar de um post que fala de um ideal que iria favorecer a todos (tudo bem, vamos tirar os terroristas convictos dessa lista - OPA! Medo...).
-Pior razão: perceber que assim começa o conflito.
Resolvi deixar quieto e nem me dei ao trabalho de responder. Um dos comentários falou um ditado antigo que se aplica: quando um não quer, dois não brigam!
É isso que eu escolho: A PAZ! Brigar pela paz não faz sentido! E também vamos combinar que a paz não está na minha mão, qual a razão de tanto estardalhaço, caramba!?!
Viremos a página...



Falando em viver no País das Maravilhas, fiquei pensando em como a gente acaba com as maravilhas do nosso dia pelo mau-humor, não é verdade?
Eu tento de todo o coração ser alegre e aceitar os acontecimentos com um sorriso no rosto. E isso não significa ser boba alegre não!
Significa escolher ser feliz com o que eu tenho!
Acho que vou contar em alguns posts como meu bom humor me salva de muitos problemas e como me garante várias histórias MARA para rir depois!
Huummm, gostei dessa idéia! Vou fazer uma série sobre bom humor!
O que vocês acham?
Beijinhos e uma doce semana para todos!

A Rainha de Copas nem precisa cortar cabeças que são vazias...hihihi...maldadezinha final! #prontoparei

quarta-feira, 2 de junho de 2010

Paz

Interrompemos nossa programação normal para discutir um assunto sério e chato, e nada doce...
Na boa, eu sei que muita gente acha essa conversa de paz historinha desnecessária. E esse é o começo do fim...
Não dá prá assistir tanta violência, como o ataque de Israel (em águas internacionais!), contra a fotilha que levaria ajuda humanitária à Faixa de Gaza.
Não estou aqui para defender nenhum lado desse conflito, mas sim suas consequências desumanas e vis.
O mundo está esse fiasco por causa de tantas concessões do que é aceito ou não. A cada momento um interessado puxa a brasa para a sua sardinha, e está chegando a hora em que não haverá mais sardinha para ninguém.
Tolerância é uma atividade pouco praticada pelas pessoas, chega a ser desconhecida de muitos, mas é o primeiro passo para promover a paz. Aceitar o diferente, concordando ou não.
Não vamos ser hipócritas e considerar que a violência está só no quintal, pois há muitas formas de abrir a porta da nossa casa para ela sentar ao nosso lado no sofá e se instalar de vez na nossa família.
O primeiro passo é apenas observar. Quando perdermos a capacidade de discordar e de se indignar com a violência, não teremos mais nada a perder.
Desejo um feriado de paz para todos nós!
beijinhos

O concurso de Miss Universo quer a paz mundial. Eu também!